informações gerais sobre mamíferosinformações gerais sobre répteisinformações sobre anfíbios em geralinformações e curiosidades sobre avesinformações gerais sobre insetostudo sobre aracnídeosanimais em ordem alfabética
Página sobre abelhas - site www.ninha.bio.br retornar à página inicial do site www.ninha.bio.br
Tudo sobre  os insetosTudo sobre  os insetos da classe hymenópteraParecem abelhas mas não sãoConheça a nossa abelhinha brasileira, sem ferrãomangava ou abelhãoTudo sobre vespas e marimbondoswww.ninha.bio.br
 
 
 

Abelhas

Ordem Hymenoptera, superfamília Apoidea, subgrupo Anthophila.
São parentes das vespas e formigas.

 

As abelhas e outros insetos em busca de néctar polinizam as flores.
O pólen das anteras masculinas da flor grudam no corpo do inseto e passam para o estigma feminino da próxima flor que ele visita.
As abelhas e as vespas pertencem à ordem dos insetos himenópteros.
A mais comum é a Apis mellifera (abelha comum) que pode polinizar até 40.000 flores por dia.

Funções de cada abelha numa colmeia

Numa colônia de abelhas domésticas existem três castas (ou classes): rainhas, zangões (machos) e operárias.

Os zangões são bem maiores que as operárias, e são as abelhas-macho.
Os zangões são gerados de ovos não fecundados.

As operárias, menores, são fêmeas estéreis.

As rainhas são as fêmeas férteis e são muito maiores do que todas as outras.
Cada colmeia tem apenas uma rainha.
A rainha acasala com os zangões, e passa grande parte do seu tempo pondo ovos, aproximadamente dois mil ovos por dia.

A casta da abelha depende de ela ter nascido de um ovo fecundado, do que ela comeu enquanto era larva e do tamanho de suas células.

colméia de abelhas vista por dentro

A vida das operárias

Quase todos os ovos transformam-se em operárias, e podem ser 60 mil operárias em uma colônia. Elas nascem depois de 21 dias na célula.
No começo só fazem é pedir comida às operárias mais velhas, mas depois de alguns dias, começam a limpar as células vazias e a prepará-las para os novos ovos.
Depois de cinco ou seis dias, suas glândulas da boca amadurecem para que elas alimentem a rainha e as larvas recém-chocadas nas células com "geléia real". Depois do quarto dia as larvas do zangão e da operária são alimentadas com pólen, mas as possíveis rainhas recebem células maiores e são criadas só com geléia real.
Depois de doze dias, as glândulas produtoras de cera da operária começam a funcionar, e ela passa a construir células novas e células encapadas contendo larvas em desenvolvimento.

Para produzir cera, a operária farta-se de mel. Elas fabricam cera em pequenos flocos, em oito bolsas que ficam na parte de baixo de seu abdomen.
Além disso, as operárias também transformam néctar em mel.

As operárias de 18 a 20 dias servem de guardas dentro da colmeia.

 

Mais:

abelha vista por dentro - vista dos órgãos internos de uma abelhaovos de abelhas nos alvéolos

Com três semanas de idade começam a sair para buscar néctar e orientam as outras para prepararem as áreas de alimentação para sua volta.
A maioria das abelhas operárias morre com cerca de seis semanas de idade, mas a rainha pode chegar a viver até os cinco anos.

Zangão

Para o zangão o acasalamento é fatal, pois ele perde seu órgão genital dentro da rainha. Funciona como um tampão para que só o seu esperma fecunde a rainha.

No Brasil

Segundo estudos realizados, no Brasil existem 6 grandes famílias de abelhas:
Colletidae, Andrenidae, Halictidae, Megachilidae, Anthophoridae e Apidae.

 

As abelhas visitam as flores não apenas pelos carboidratos fornecidos pelo néctar, mas também para coletar o pólen produzido pela planta, para abastecer seus ninhos. Na maioria das espécies, as larvas alimentam-se de uma massa de pólen.

Algumas espécies de abelhas colhem o pólen apenas de uma variedade muito restrita de flor outras podem visitar praticamente qualquer planta com flor

A maioria das abelhas tem bastante pelos e, quando visitam as flores, um pouco de pólen fica grudada em seus pelos. Este pólen é escovado com as pernas e transportado nas escapas (escovas de pelos) ou em corbículas (parte convexa e brilhante, do lado de fora das coxas das abelhas).

Existem abelhas que vivem como "invasoras" de ninhos de outras abelhas, sãoparecidascom uma vespa, com poucos pelos e sem aparelho para transporte de pólen. Mas sabe-se que são abelhas, entre outras coisas, por seus basitarsos posteriores mais achatados.

As maxilas e o lábio das abelhas formam uma estrutura parecida com uma língua, por onde o inseto suga o néctar. Existe outros Hymenoptera que têm uma língua parecida, porém em muitas abelhas a língua é comprida e assim elas podem alcançar o néctar de flores com corolas profundas.
A estrutura da língua é diferente em diferentes abelhas e isso pode ser usado para a classificação.
Os dois sexos de abelhas diferem quanto ao número de artículos antenais e tergos metassomáticos.

As abelhas coletoras de pólen desempenham um papel importante na polinização das plantas.

A maioria das plantas apresenta polinização cruzada (o pólen de uma flor deve ser transferido para o estigma de outra).
A polinização cruzada é realizada por dois agentes principais, o vento e os insetos.
Plantas polinizadas pelo vento incluem as gramíneas, muitas árvores e muitas plantas selvagens.
As plantas polinizadas por insetos incluem a maioria das frutas de pomar, frutos de baga, muitos vegetais, lavouras e flores.
Muitos cultivadores, ao trazer colmeias de abelhas-de-mel quando as plantas estão florescendo, são capazes de obter um rendimento muito maior de frutas no pomar.

O tamanhos das abelhas varia de acordo com a sua função dentro da colméiaEsta foto mostra abelhas acasalandoAbelhas fabricando cera

Abelhas construindo um favo de mel

Favo de mel

Essas "tijelinhas" cheias de mel são uma verdadeira delícia.

São cobiçadas por várias espécies de animais, inclusive o homem.

Para alguns povos (como algumas tribos do Tibet, por exemplo) o mel é considerado seu alimento principal e mais nutritivo.

Bastante utilizado inclusive como parte de receitas culinárias e remédios, é um produto muito procurado nos mercados do mundo inteiro. E é por este motivo que as abelhas começaram a ser também exploradas comercialmente.

Desenhos animados personalizados

Esta foto mostra bem a língua da abelha, que ela usa para se alimentar

As flores mandam sinais para pássaros e abelhas

A luz ultravioleta pode ser invisível aos olhos do homem, mas as abelhas podem vê-la e tirar proveito dela.

Muitos tipos de flores parecem às abelhas linhas ultravioletas sobre um fundo branco.

Esse padrão é um sistema de sinalização da flor.

Como as luzes da pista de um aeroporto, essa sinalização indica a direção a ser tomada pelos insetos voadores até o estoque de néctar da flor, garantindo que aquele caminho os cobrirá de pólen.

As abelhas dependem das flores para se alimentar, e as flores dependem das abelhas para carregar o pólen de uma flor a outra para que elas se reproduzam.

Nem só as abelhas têm a capacidade de ver a luz ultravioleta; outros insetos, como as mariposas, também lêem os sinais da flor.

 

abelha com as patas cheias de pólem

Quando a gravidade indica direção

Uma abelha pode dizer se o caminho está certo ou errado pelos pêlos do seu pescoço. Esses pêlos são tão bem distribuídos que, quando a abelha está numa superfície eles ficam nivelados com a cabeça.

À medida que a abelha muda a posição da cabeça, a força da gravidade sobre sua cabeça faz mais pressão em diferentes áreas dos pêlos do pescoço.

Quando a abelha se arrasta para cima, sua cabeça é impelida na direção do peito, que põe mais pressão nos pêlos do pescoço. Quando se arrasta para baixo, a cabeça afasta-se do peito, fazendo pressão nos pêlos da nuca.

O grau da inclinação determina a quantidade de pressão existente nos pêlos.

rainha já fecundadarainha sendo paparicadaRainha das abelhas, ao centro

abelha da família colletidae, em sua toca

Família Colletidae

Estas abelhas possuem a língua curta e truncada. abelha entrando em sua toca
A família é dividida em três subfamílias, Colletinae, Diphaglossinae e Hylaeinae.

Os Colletinae cavam o solo para fazer os ninhos e revestem sua toca com umacera fininha e translúcida.
Têm tamanhos moderados e são muito pilosas. com faixas de pubescência pálida no metassoma.

Os Hylaeinae são abelhas pequenas, pretas, bem menos pilosas, com marcas amarelas na face Têm um aspecto muito semelhante ao de vespas e as pernas posteriores da fêmea não possuem escovas de pólen.  Estas abelhas fazem o ninho em vários tipos de cavidades e fendas, em caules de plantas ou em escavações no solo.

abelha cortadeira começando a forrar o ninho

Abelhas Cortadeiras

Abelhas que enrolam os ovos em folhas

A abelha cortadeira forra seu ninho com folhas de rosas, lilás, salgueiro e laburno. A fêmea, diferente da abelha melífera devido às bolsas de pólen em seu abdomen, corta um pedaço oval de uma folha escolhida, dobra-o com a boca e carrega-o entre as pernas até o ninho — geralmente um buraco estreito e fundo numa árvore, muitas vezes feito por larvas de besouro.
A abelha começa revestindo o fundo do ninho com o pedaço de folha. Depois sai novamente e corta um minúsculo círculo de folha para forrar a base do buraco do ninho.
Então, preenche esse primeiro alvéolo do ninho com pólen e néctar, e bota um ovo, fecundando-o com esperma armazenado do acasalamento. Finalmente, o alvéolo é fechado com um círculo de folha e lacrado com secreções de sua boca.
Feito isso, a abelha começa tudo outra vez, colocando o outro alvéolo em cima do primeiro, até encher dez ou quinze alvéolos.
Os primeiros alvéolos do ninho produzem fêmeas; os ovos do topo, mais próximos à entrada, não são fecundados e nascem machos.

abelha colhendo néctar

Presa na rotina

As abelhas cortadeiras não conseguem adaptar-se a mudanças na rotina de construção.

A abelha fêmea corta pedaços de folhas e os usa para construir as células onde irá depositar seus ovos.

Mas, se por acaso encontrar um pedaço de folha que já tenha a forma apropriada, ela a ignora.

Seu instinto é cortar folhas em um certo formato e tamanho e transportá-las para seu esconderijo.

Caso ela deixe cair uma pedaço de folha que cortou, em vez de pegá-lo, irá cortar uma outra folha.

 

 

abelha pousada em uma flor colorida

Substâncias que Compõem o veneno das abelhas

No veneno das abelhas tem: Fosfolipase A2, hialuronidase, fosfase ácida, melitina, apamina, peptídeo MCD, cardioprep.


Abelha voando perto da flor

abelha colhendo pólemroupa protetora apropriada para cuidar de abelhas

Apicultura

Colônias de abelha-de-mel são mantidas por humanos há milhares de anos para se obter seu mel armazenado ou promover-se a polinização, que são muito importantes para a agricultura.
Na natureza, os ninhos são estabelecidos em cavidades de rochas e de árvores que apresentem uma abertura estreita.
No cultivo, as colônias são mantidas em cestos ou caixas de madeira.

O ninho consiste em uma série de favos paralelos, diferentes dos das vespas de papel porque são verticais e de cera, e são feitos dos dois lados do favo.
Por outro lado, as células são usadas não apenas para criar as ninhadas, mas também para armazenar mel e pólen. Os favos também servem como plataformas onde as operárias trocam alimentos e informações.

colmeia em construção

Abelhas Européias

Foram trazidas para o Brasil em 1839.

Também é chamada de abelha-alemã, abelha-comum, abelha-doméstica, abelha-europa e oropa.

Abelhas europeias são o que comem

O futuro da abelha europeia dependem inteiramente do alimento que ela recebe quando ainda é uma larva de quatro dias. Nos alvéolos, as larvas são alimentadas por operárias jovens. Nos três primeiros dias todas recebem geléia real rica em proteínas, feita de pólen e mel, misturada com secreções de glândulas localizadas na boca das operárias.
Depois disso, as larvas que se tornarão operárias ou zangões são alimentadas com pólen. As operárias comuns alimentadas com pólem desenvolvem ferrões e bolsas de pólen nas pernas, ferramentas essenciais para quem vai passar a vida protegendo e fornecendo alimento à colmeia.

 

PESQUISE NESTE SITE:

Abelha pousada na flor do maracujáComida para uma rainha

Quase todas as larvas de abelhas europeias tornam-se operárias mas, se a rainha ficar debilitada, ou deixar a colmeia superpovoada levando consigo um enxame, as operárias preparam vários alvéolos reais.

A primeira rainha a nascer abre os outros alvéolos e mata as rivais, assumindo o controle da colmeia. As operárias constróem alvéolos cônicos para rainhas, que são maiores que os alvéolos hexagonais comuns da maior parte do favo. Os alvéolos reais ficam nas extremidades do favo, onde são visitados e alimentados pelas operárias, com uma frequência dez vezes maior que nos alvéolos das outras larvas.

As larvas das rainhas são alimentadas exclusivamente com geléia real, porém numa versão mais rica, contendo mais açúcar e mais secreções das glândulas bucais das operárias. Isso estimula a larva a comer mais.

As futuras rainhas literalmente nadam num mar de geléia real.

Esta rica dieta faz com que as futuras rainhas desenvolvam grandes ovários no lugar das bolsas de pólen e dos ferrões das operárias.

abelha na praia

A principal diferença entre vespas e abelhas pode ser  a alimentação das larvas.

As larvas de abelhas são, na grande maioria, alimentadas com pólem.
As larvas das vespas são alimentadas com proteína animal.

Abelha na praia

Atraídas por sucos, refrigerantes e outras "guloseimas" doces, algumas abelhas vem visitar os banhistas, a beira mar.

E é por este motivo que quando andamos na praia, encontramos algumas abelhas "nadando".

Seu ciclo de vida provavelmente esteja acabando e não conseguiram retornar ao ninho, ou talvez um tapa a tenha jogado na água...quem sabe.

 

abelha sobre favos cheinhos de mel

Hymenópteros

 

A classe dos hymenópteros abrange abelhas, vespas, formigas e algumas espécies de moscas.

Na grande maioria são animais que possuem 2 pares de asas transparentes (ou já possuíram em outra época da evolução).

Classe dos hymenópteros, suas características as principais espécies.

Abelhas de orquídeas

Embora não pareçam com as abelhas tradicionais, são também abelhas...

As abelhas das orquídeas são metálicas brilhantes, de cores vivas, com distribuição tropical.
Possuem uma língua muito longa, apresentam esporões apicais nas tíbias posteriores.
Não possuem um lobo jugal nas asas posteriores e o escutelo é projetado para trás sobre o metassoma.

Tem este nome porque os machos são atraídos para orquídeas e são muito importantes para sua polinização.
Os machos não se alimentam de pólen e as orquídeas não produzem néctar.
As fêmeas não são atraídas para orquídeas.

abelha de orquídeasestranha abelha verdeabelhas de orquídeas

abelhinha iraí, sem ferrão

Abelhinha Iraí

Nannotrigona testaceicornis, também conhecida como camuengo, jataí do preto ou mombuca.

São abelhinhas minúsculas que não tem ferrão, assim como a jataí.

A foto ao lado mostra a entrada do ninho, mas dentro ele é bem maior.

Insetos fotografados por mim, no Parque Municipal Penhasco Dois Irmãos - Rio de Janeiro.

Para conhecer mais a fundo as abelhas sem ferrão brasileiras, consulte o Guia ilustrado das abelhas sem ferrão.

Também muito interessante é visitar os projetos da FAPESP sobre insetos polinizadores

 

Abelhas "abutres"

Se alimentam de carniça por isso são chamadas de abutres.
É um tipo de abelha tropical sem ferrão, é conhecido por complementar sua dieta de pólen e néctar com carniça.

Para se alimentarem da carcaça, algumas operárias formam um círculo e fazem um pequeno orifício na pele da carcaça.
Depois, outras operárias entram e vão mastigando a carne, as abelhas digerem parcialmente a carne usando uma substância que têm na saliva.
Voltam para o ninho e regurgitam(vomitam) a carne para os outros elementos da colônia.

Um grupo de 60 a 80 de abelhas pode transformar um sapo morto em só um monte de ossos em três horas, e um grupo de mil pode, acabar com a carcaça de um macaco.

 

Abelhas se comunicam dançando

Um feromônio de reunião, liberado por uma abelha que volta de uma saida a procura de alimento bem-sucedida, faz outras abelhas se reunirem para obter informações sobre a fonte do alimento.

Uma boa parte destas informações é transmitida durante uma dança.

A linguagem da dança é um pouquinho diferente em cada espécie de abelha. Os significados abaixo descritos aplicam-se a algumas espécies de origem européia:

 

Quando o alimento está a menos de 20 metros do ninho, a abelha faz uma dança circular, fazendo um círculo quase completo, alternando entre o sentido horário e o anti-horário. Isso indica que a fonte está próxima.

A quantidade de alimentos é indicada pela duração e força da dança e o cheiro liberado pela abelha "bailarina" informa que tipo de alimento foi encontrado.

Quando o alimento está a mais de 80 metros de distância, ela faz uma dança em formato de um número 8, alternando semicírculos para a esquerda e para a direita, e a abelha balança vigorosamente o abdomen de um lado para o outro enquanto anda para a frente.

A distância aproximada de onde foi encontrado o alimento é indicada pelpelo número de oitos na dança e de execuções da dança.

A direção do alimento é indicada pelo ângulo entre a direção da parte reta (no meio do oito) e a direção vertical para cima.
Representa o ângulo entre a fonte de alimento e o azimute do sol, que corresponde à coordenada solar no horizonte.

A dança ocorre dentro de um ninho quase escuro.

Ao lado um vídeo do Instituto de Saúde e Psicologia Animal, que mostra esta dança, e uma experiência feita com uma falsa abelha.

Aos 0:12 segundos  do vídeo o inseto que está sobre a flor não é uma abelha e sim uma mosca mimetizando uma abelha. Dá pra ver um par de asas e as antenas aristadas (obrigada Ricardo ).

 

abelha sugando suco de uva em copo plástico

 

 

Na foto ao lado e nas fotos abaixo, uma abelha recolhe o suco que ficou nas paredes do copo de plástico.

 

 

É interessante ver a língua da abelha em funcionamento, e algumas das fotos mostram outros detalhes da abelha, que quando a gente vê elas assim, num copo, nem dá pra reparar.

 

 

lingua da abelha

repare nas patinhas da abelha...

 

 

 

Eu achei muito bonitinha a patinha da abelha, delicada.

 

Quando a gente olha mais de longe, não dá pra ver a parte mais fininha das patas da abelha.

     

 

No vídeo ao lado da pra ver o suco sumindo, enquanto as abelhas lambem.

 

 

 
 
by   envie e-mail
 
Recuperação de imagens estragadas pelo tempo

Caso exista alguma foto aqui que seja sua, colocarei o crédito com o maior prazer. Caso não queira que seja exibida, substituirei por outra.
Para colaborar com textos e fotos, envie email para anamaria.ninha@gmail.com.

animais fora de controleanimais desconhecidosPlaneta TerraSeres HumanosNotícias biológicasAnimais que vivem na terraAnimais que vivem na água
Política de Privacidade