informações gerais sobre mamíferosinformações gerais sobre répteisinformações sobre anfíbios em geralinformações e curiosidades sobre avesinformações gerais sobre insetostudo sobre aracnídeosanimais em ordem alfabética
Página sobre gambás  - site www.ninha.bio.br
MarsupiaisTudo sobre  os insetos da classe hymenópteraCanguruCoalawww.ninha.bio.br
 
 

Gambá, Cuica e Cangambá

O gambá e a cuíca são marsupiais da Ordem Didelphimorphia, que são frequentemente confundidos, e são mesmo parentes (dá pra dizer que são primos).
O cangambá que aqui no Brasil é chamado de gambá também... não é nem parente, é um mustelídeo, e não um marsupial.

Gambá

O gambá também é conhecido por muitos outros nomes: Didelphis albiventris ou Didelphis marsupialis (científico), mucura(no Tocantins), sarigué e sariguê (na Bahia), saruê (na Bahia e em São Paulo),sarigueia, timbu (no Nordeste), cassaco (no Alagoas), micurê (no Paraguai e no Mato Grosso).

O nome gambá tem origem na língua tupi-guarani - "guaambá"- que significa "mama oca", uma referência a bolsa ventral (marsúpio) onde ficam as mamas e os filhotes vivem durante o primeiro período de desenvolvimento.

Nos Estados Unidos é conhecido como opossum, nome que deriva da palavra indígena "apasum", que significa animal branco.
O gambá é o único marsupial da América do Norte.

Uma das características principais desse animal é a catinga, produzida pelas glândulas axilares.É o sistema de defesa do gambá.

No cio, a fêmea exala este cheiro para atrair os machos (:o).

gambá fingindo de morto
Tem hábitos noturnos, mas, pode ser visto de dia também, no topo das árvores, principalmente dos coqueiros.
Apesar de ser um animal de movimentos lentos, sobe em árvores com facilidade.

"Fingir-se de morto" é uma estratégia de defesa.

Um coiote faminto agarra um gambá do tamanho de um gato e dirige-se para os arbustos, com a presa flácida e aparentemente sem vida entre os dentes. Quando o coiote se acomoda, ele relaxa um instante a mordida. Imediatamente, o gambá se levanta e dispara para a árvore mais próxima, deixando o espantado coiote de boca vazia e faminto.

Seu hábito de fingir-se de morto quando ameaçado é famoso. Com a aproximação do perigo, o gambá fica flácido, deixa a cabeça cair e abre a boca com a língua de fora.

Embora pareça morto e nem sequer estremeça quando gravemente mordido, o cérebro do gambá permanece em plena atividade, pronto para identificar uma chance de fuga.

Como o animal alcança esse aparente bloqueio total dos sentidos é um mistério eterno para os zoólogos. Certamente, esta frieza sob pressão é impressionante e convincente, mas fingir-se de morto é uma estratégia arriscada.

gamba_lanudo

 

 

Alguns gambás parecem mais macacos do que qualquer outro bicho.

Este gambá lanudo da foto ao lado, vive nas florestas tropicais da América Central e do Norte da América do Sul.

Como os macacos (mais especificamente os gálagos), possui olhos grandes e frontais que ajudam a determinar distâncias com precisão enquanto se movimenta pelos galhos.

Tem cauda preênsil (para se segurar) como alguns macacos sul-americanos e alimenta-se de frutos e néctar.

Após o nascimento, os bebês ficam presos às tetas dentro da bolsa.
Crescidinhos, já saem da bolsa e trepam nas costas da mãe para um pequeno passeio.

gambá

Como o macaco, o camaleão e outros bichos que vivem em árvores, o gambá tem a cauda preênsil (que pode se segurar em galhos de árvores), que serve quase como um quinto braço para ajudar o gambá a se movimentar entre as árvores.

Podem ter até quarenta e cinco centímetros de corpo e trinta e cinco de cauda.

Os fazendeiros não gostam muito do gambá pois as vezes um gambá entra num galinheiro e mata uma porção de galinhas, chupando o sangue delas.
Também come os ovos, fazendo um furinho como a gente faz com ovos que vai enfeitar para a páscoa.
Depois, com a barriguinha cheia, deita ali mesmo no chão e dorme. No dia seguinte cedinho chega o dono do galinheiro, e era uma vez um gambá.

O gambá até colabora com o fazendeiro, comendo cobras, roedores e insetos que estragam as plantações. Mas atrapalha atacando plantações para comer frutas e raízes, comendo bichinhos como passarinhos, rãs, caranguejos e galinhas.

O gambá é o único bicho realmente imune ao veneno das jararacas, cascavéis e cobras-corais.
Ele come cobras sempre que as encontra, sem com isso sofrer nenhum dano.

timbu no oco da árvoreMamãe gambá e seus bebês

A fêmea do gambá dá cria três vezes por ano.
A gestação,  ocorre em até 13 dias.
A fêmea  da à luz de 10 a 15 filhotes por ninhada.
Ao nascer, o embrião tem por volta de 1 centímetro e pesa apenas 2 gramas.

O filhote completa seu desenvolvimento na materna, o marsúpio, onde permanece cerca de três meses. Após esse período, o gambá pode sair, embora ainda necessite dos cuidados da mãe.

Vive entre 2 e 4 anos.

filhotes de gambá agarradinhos nas costas da mãemamãe gambá carregando suas crias

gambá zangado

 

Se atacado, o gambá às vezes se contenta em rosnar, escancarar a boca e mostrar os dentes, em lugar de fugir.

Nessas horas tem um cheiro tão ruim que o atacante é que sai correndo.

gambá olhando entre as folhas

gambá pendurado pelo rabo

 

O dedão do pé é bem separado dos outros dedos e trabalha como o polegar da nossa mão. Não tem unha (o nosso polegar tem), mas o gambá usa o dedão para segurar coisas com os pés (galhos, por exemplo) como nós usamos o polegar para segurar coisas com as mãos.

Na foto ao lado da pra ver bem como os dedinhos do pé dele são...o pé mais parece uma mão.

Também podemos notar com essa foto, a força que a cauda possui, para segurar o corpo todo, pendurado num galho de árvore.

 

gambá come quase de tudogambá comendo cobra

Gambás comem quase de tudo, inclusive cobras.

 

tres gambásfilhote de gambá agarrado a um raminho

Cuíca

Cuíca

A cuíca-verdadeira tem bolsa, como o gambá, e mede uns trinta a trinta e cinco centímetros de corpo e uns trinta centímetros de cauda.
Bem mais zangada que o gambá, usa os dentes para se defender dos inimigos.

A menor das nossas cuícas mede uns sete centímetros e meio a oito centímetros de corpo e uns quatorze a quinze centímetros de cauda.
Tem patinhas brancas e não usa bolsa na barriga.
As catitas (ou cuícas-de-cauda-curta, ou gambazinhos) vivem mais na terra do que nas árvores.
Gostam de entrar nas casas e são às vezes confundidas com ratos.

Existem vários tipos de cuícas que vivem no Brasil, em outros países da América do Sul e na América Central.

cuíca manchada
Cuica Manchada

Classe: Mamíferos
Ordem: Marsupiais
Família: Falangerídeos
Espécie: Phalanger maculatus

A cuíca-manchada vive na Austrália, e  em algumas ilhas vizinhas, como Nova Guiné, Molucas e Celebes.

O nascimento dos filhotes é bem diferente do dos mamíferos placentários, a fêmea fica praticamente imóvel, sozinha no oco natural de uma árvore.

Com a própria saliva, ela umedece o pêlo cinza-claro da barriga, fazendo um caminho para que os filhotes possam se orientar e achar o caminho da bolsa marsupial.

Geralmente são 4 filhotes, cada uma pouco maior que uma mosca, que vão rastejando pela trilha de pêlo molhado.

A mãe não pode ajudar os filhotes, pois são delicados demais...então ela fica imóvel para que não caiam antes de chegar ao marsúpio.cuica manchada

Como todos os marsupiais, a cuíca-manchada fêmea abriga os filhotes durante um tempo em seu marsúpio, uma bolsa quente, dentro da qual os filhotes permanecem até completar-se a formação de seus órgãos.

Dentro dessa bolsa os filhotes mantêm a boca grudada a uma teta, mamando o tempo todo. Logo depois que começam a mamar, a teta incha, de modo que a aderência não pode ser desfeita, tal a pressão do engate. Só quando estiverem maiorezinhos, com o diâmetro da boca aumentado, é que os filhotes poderão desgrudar da teta da mãe.


Mas nem todas as fêmeas têm uma teta para cada filhote. Algumas têm só duas, o que automaticamente seleciona para a vida os dois mais fortes.

A cuica-manchada é mais ou menos do tamanho de um gato doméstico.

A mobilidade da cauda e as vinte garras (uma em cada dedo do pé e da mão) facilitam a locomoção pelas árvores, onde o animal encontra seus alimentos básicos.

Para caçar a cuíca-manchada, os nativos da Oceania seguem o cheiro dela. A carne é considerada como alimento comum de muitas tribos.

Alimenta-se de frutas, insetos, aranhas e larvas, ovos e ninhadas de aves.
O pássaro que estiver chocando quase sempre tem tempo de escapar, porque a cuíca-manchada é lenta demais para capturá-lo num bote ágil. Mas ficam ainda os ovos ou as crias.
Também ela é presa para outros bichos arboricolas, sobretudo grandes lagartos e serpentes.

cuica dágua


Cuica D'água

Ordem: Didelphimorphia (= Marsupialia)
Família: Didelphidae
Espécie:Chironectes minimus

É facilmente reconhecida pelas listras transversais cinzas, no pelo quase todo preto.
Tem patas posteriores dotadas de membranas interdigitais que envolvem toda a extensão dos longos dedos.

Tem hábitos noturnos, e prefere viver sozinha.

Vive principalmente na água e gosta muito de corredeiras, onde se alimenta principalmente de peixes, crustáceos e outros invertebrados aquáticos.
Faz sua toca em um buraco perto da água.

yapok

Quando quer se secar, lambe-se como faz o gato.

Existe em áreas tropicais e subtropicais sendo bastante rara.

 

No Brasil já foi encontrada na bacia Amazônica e nas regiões Sul e Sudeste do país.

gambá d'água

Também conhecido como gambá d'água ou yapok, é um dos poucos marsupiais bem adaptado para a vida na água.

Ele tem uma pelagem espessa e oleosa, à prova d'água, membranas natatórias nas patas traseiras, e a fêmea pode carregar até dez bebês.

Ao submergir, ela fecha com fortes músculos do esfíncter a abertura da bolsa, prendendo o ar para os filhotes respirarem. A pelagem na borda da bolsa e a secreção gordurosa lhes propiciam um fechamento estanque.

Oyapok é listrado, com pêlo semelhante ao do rato e a cauda pelada.

As fêmeas nadam com os bebês na bolsa marsupial e alimentam-se de peixes.

 

Cangambá

No Rio Grande do Sul é conhecido como zorrilho(Conepatus chinga).
Jaritataca ou jaguaritaca é como o chamam em Minas(Conepatus semistriatus).
Na verdade esses dois acima são parentes muito próximos (e bem parecidos) do Cangambá (Mephitis mephitis).
Alimenta-se principalmente de gafanhotos e cobras.

 

gambásClasse: Mamíferos
Ordem: Carnívoros
Família: Mustelídeos
Espécie: Mephitis mephitis

Em pequenos grupos ou solitário, ele percorre o bosque  à noite procurando frutas caídas, insetos, ou para fuçar a terra em busca de larvas e vermes.

Não sobe em árvores, mas captura aves no solo e ataca os ninhos das aves que põem seus ovos no chão.

Quando ameaçado, o cangambá escava o chão, dá alguns pulos e as vezes cambalhotas de aviso, se o predador não desistir, o cangambá vira e espirra seu a líquido fedorento. Se acerta, o inimigo sempre desiste da luta.
Ele consegue acertar o jato catinguento até a 3 metros de distância.
Este líquido também é utilizado por fábricas de perfume como fixador de aroma (depois de tratado, fica sem cheiro).

Imune (ou quase) ao veneno das cobras e das abelhas, ele gosta também de atacar colmeias para comer as abelhas.

gambá

filhotinhos de cangambá em fila

Depois do desmame, os filhotinhos do cangambá saem da toca pela primeira vez.

Em fila indiana, dificilmente se perdem.

Mas se algum deles sair da fila, a mãe logo percebe e corre colocá-lo de volta na fila.

Mephitis, um primo do cangamba

 

Um dos parentes do camgambá , o Mephitis, da ilustração ao lado, só existe na America do Norte.

Cangambá fazendo xixi

 

Na natureza o cangambá é um bicho calmo,  que se dá muito bem com os outros cangambás e as vezes até divide o ninho.

 

Cangambá se defendendo

Lógico que quase nenhum bicho quer saber de briga com o cangambá. Ainda assim é caça de gaviões e outras aves de rapina, além da suçuarana ou puma.

Os cachorros sem experiência também enfrentam o cangambá. Mas, quando o líquido bate neles, ficam se debatendo, aos gritos. Depois saem correndo, desesperados. E só voltam para casa no fim de uns dois ou três dias, muito tristes e de rabo entre as pernas.

O cangambá caça e passeia principalmente de noite, mas também dá as suas voltas durante o dia. Vai sempre cavando, cheirando, enfiando o nariz em tudo.
Gosta de atacar galinheiros para devorar pintinhos e ovos de galinha.

Quando está com muita fome e não encontra mais nada, o cangambá se contenta com frutas e outros vegetais.

Ilustração de um cangambá

cangambá recem nascido

Ao lado um bebê cangambá recém nascido.

O ninho é geralmente é um buraco, que o cangambá cava com o focinho e as garras, ou qualquer buraco já pronto.

Costuma ter camas, feitas de grama e folhas secas, para os filhotes.

 
by   envie e-mail
 
 
Recuperação de imagens estragadas pelo tempo

Caso exista alguma foto aqui que seja sua, colocarei o crédito com o maior prazer. Caso não queira que seja exibida, substituirei por outra.
Para colaborar com textos e fotos, envie email para anamaria.ninha@gmail.com.

animais fora de controleanimais desconhecidosPlaneta TerraSeres HumanosNotícias biológicasAnimais que vivem na terraAnimais que vivem na água
Política de Privacidade
 

retornar à página inicial do site www.ninha.bio.br