informações gerais sobre mamíferosinformações gerais sobre répteisinformações sobre anfíbios em geralinformações e curiosidades sobre avesinformações gerais sobre insetostudo sobre aracnídeosanimais em ordem alfabética
Página sobre mariposas, no site www.ninha.bio.br
www.ninha.bio.br
 
 

Mariposas - as borboletas noturnas

são insetos da família dos lepidópteros, heteróceros.

Não é muito fácil distinguir borboleta de mariposa (em muitas línguas os dois bichos são designados por uma palavra só, sem distinção). Aqui, chama-se de mariposa, em geral, qualquer borboleta noturna. Mas, na verdade, existem mariposas diurnas e coloridas, bem como borboletas noturnas e de cor mortiça. A diferença científica é dada pelo tipo de antenas e outros caracteres técnicos.
Também são conhecidas como bruxas.

Reino: Animalia
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Lepidoptera

Embora pareçam com as borboletas, a maioria delas tem hábitos noturnos.
Fazem metamorfose, e de larvas se transformam em mariposas.

As mariposas são também bastante apreciadas como isca de pescaria, para peixes de água doce, como o lambari por exemplo.


mariposa enviada por colaboradora do site

Mais:


 

 

mariposa vapourer

Mariposa que não voa

A fêmea da mariposa vapourer não tem asas - apenas pequenos cotos, pequenos demais para que ela possa voar. Ela vive toda a vida adulta, que dura umas duas semanas, no lugar onde se transformou de lagarta em mariposa, geralmente uma árvore frutífera.
Depois que sai do casulo de seda, escondido em uma fenda na casca da árvore, ela senta-se no casulo vazio e espera, soltando um forte odor.
Na foto ao lado dá pra ver a fêmea, o macho e os ovos.
O macho sentirá esse odor (cheiro) a 5 quilômetros de distância, através de suas antenas plumosas, e chegará até a fêmea sem asas.
Após a cópula, o macho decola à procura de uma nova parceira, enquanto a fêmea põe cerca de 300 ovos, geralmente dentro do casulo, e depois morre.

As lagartas peludas que nascem deles alimentam-se das folhas da árvore, até elas também se transformarem em mariposas.

vários insetos vermelhos no galho

 

 

 

Olhando rapidamente, parecem folhinhas da planta. Na verdade são várias mariposas.

mariposa-pavão gigante

Não sei porque, mas essa mariposa me lembra aquele personagem de seriado da tv "Alf, o ETeimoso".

As mariposas pertencem a classe dos Insetos e a ordem dos Lepidópteros além da famíla dos Notodontídeos

Eumorpha Vitis Vitis

A bela mariposa ao lado pertence à Ordem Lepidoptera, família Sphingidae, subfamília Macroglossinae, gênero Eumorpha, espécie Eumorpha vitis vitis.

Ela foi fotografada num apartamento, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, pelo Téo Gomes, que gentilmente autorizou a exibição da foto aqui.

O desenho das asas dessa mariposa lembra aquelas capas de antigos LPs de rock pesado, como Iron Maden, ou algo do gênero. Linda né...

mariposa

Olfato poderoso

A mariposa de seda macho tem um olfato excepcional. Suas antenas revestidas de plumas são cobertas por receptores olfativos.

A mariposa de seda macho tem cerca de 60 mil pêlos sensoriais nas antenas, sendo a maioria deles sensíveis apenas a um cheiro: bombicol, o feromônio secretado pela fêmea virgem.
A mais leve baforada desse cheiro alerta todos os machos num raio de 5km.

Voando em ziguezague, o macho compara as concentrações do cheiro captadas por cada uma das antenas. Se sentir que o feromônio se intensifica numa direção, ele segue por esse caminho. Ao voar na direção das concentrações cada vez mais fortes de feromônio, o macho encontra o caminho até a mariposa fêmea que o espera.

 

mariposa rosada

Pêlos e cerdas fornecem um arsenal de armas a mariposas, borboletas e lagartas.

Algumas mariposas-tigres retêm o veneno que pegaram ao se alimentarem de folhas quando eram lagartas e isto as torna com gosto ruim para as aranhas-lobos, que de outra forma seriam uma ameaça. Na América tropical e subtropical, para se tornar venenosa, a borboleta tecla atala come a seiva de uma palmeira chamada sagueiro. Seus ovos também são cobertos de escamas venenosas cor-de-laranja. A lagarta da mariposa em concha australiana tem pêlos que espetam.

 

As mariposas-tortrix-de-fruta-de-verão machos também exalam um odor, só que com outra finalidade.

Elas liberam um feromônio que inibe outros machos de seguirem a trilha deixada por uma fêmea. Então o primeiro macho que cheirar a trilha feminina provavelmente irá acasalar com ela

.mariposa-tortrix-de-fruta-de-verão

mariposa-preguica

Mariposas-preguiça

As mariposas voam muito mais rápido do que as preguiças podem se locomover, mas ainda assim elas usam as preguiças como meio de transporte. Uma única preguiça de três dedos (que não costuma andar a mais de l,6km/h) pode ter até 100 mariposas vivendo no seu pelo. Elas não ficam ali para alimentar-se, botar ovos ou qualquer outra razão. Simplesmente pegam uma carona.
As preguiças passam a maior parte do tempo penduradas de cabeça para baixo em árvores das florestas da América Central e América do Sul, comendo folhas e frutos. Elas raramente se locomovem, a não ser para defecar, no chão da floresta.
As mariposas põem seus ovos no estrume das preguiças, e suas larvas chocam, alimentam-se e transformam-se em adultas no monte de estrume. Quando as adultas estão prontas para deixar a área, voam para as árvores à procura de uma preguiça - elas não sobem naquela que estiver mais próxima. Acredita-se que as mariposas macho achem suas fêmeas quando as preguiças se encontram em locais de procriação.

enxame de mariposas

Mariposas Bogong

Na Austrália, nos meses de junho, julho e agosto, muitas larvas de mariposas bogong, se transformam-se em adultos dentro de casulos.

No verão, viram mariposas. O clima é quente e seco e as planícies são um mar de mato escuro. Portanto, ao invés de iniciarem imediatamente um intenso período de cortejo e acasalamento, elas partem para maiores altitudes, migrando para regiões mais frias ao sul, voando à noite e descansando de dia embaixo de troncos de árvores caídas e arbustos.

Durante sua jornada, as mariposas em migração encobrem a luz de postes, entram pelas janelas abertas e entopem máquinas e tubos de ventilação.
Finalmente, elas chegam aos Alpes australianos onde bilhões delas recolhem suas asas, amontoam-se em todas as cavernas e fendas.

Ficam por aí durante cinco meses, sem comer e quase sem respirar. No outono, as planícies começam a esfriar e as nuvens de chuva aglomeram-se. Quando a nova vegetação cresce, as mariposas agitam-se e descem do seu retiro nas montanhas, voltando para onde começaram. Ali elas acasalam, põem ovos e morrem.

mariposa de cacto

 

 

A mariposa de cacto alimenta-se das flores do cactus.

mimetismo

 

Mimetismo

As curiosas manchas de muitos tipos de mariposas de hábitos noturnos fazem com que elas se assemelhem a cascas de árvores ou folhas. Esta espécie confunde-se com gravetos quebrados.

mariposa azul
mariposa fotografada em Manguinhos, Rio de Janeiro

mariposa laranjada

 

 

 

 

Abaixo o casulo, que a lagarta tece em torno de si mesma,  a lagarta se transforma em crisálida e depois em mariposa

casulo de mariposacrisalida dentro do casulomariposa saindo de dentro do casulo

ilustração de uma lagarta

Algumas lagartas de mariposas, lançam jatos fedidos para se defenderem dos predadores.

A luza da luminária atrai os insetos

Mariposas, assim como os besouros e outros insetos, são atraídas pela luz.

mariposas pousadas no tronco de uma árvore

 

Há em todo o mundo umas 100 000 espécies de mariposa e borboleta, até nas regiões geladas do norte e nas temperadas do sul. Mas a maior concentração é nos trópicos, especialmente no Brasil.

Em 1 hora, um explorador inglês localizou umas seiscentas espécies diferentes, no Pará.

Na Inglaterra, até hoje, foram identificadas apenas umas setenta espécies.

ilustração de uma mariposamariposa branca de pintinhas pretas
 
by   envie e-mail
Desenhos animados e ilustrações em geral

Caso exista alguma foto aqui que seja sua, colocarei o crédito com o maior prazer. Caso não queira que seja exibida, substituirei por outra.
Para colaborar com textos e fotos, envie email para anamaria.ninha@gmail.com.

Política de Privacidade
 

retornar à página principal